quarta-feira, 5 de março de 2008


Permaneço no silêncio incerto e apagado.
Desprovido de animo de sonho de alma e de salmo
Estou no fio que dispersa o meu universo mensurável e tempificado
Do que não consigo julgar nem medir nem criar.
Dispersa, protejo-me de mim...
Escuto a voz que brota das entranhas
Mescla de loucura e sentimento!
Deito-me sobre pregos e sinto prazer...

Um comentário:

fr. Dhael disse...

ainda quando o silenciososo som vem dizer-me:
-Nossa, como ela escreve bem!
Eu me gabo e respondo:
-Ah, ela?! Eu conheço de pertinho...
-----------------
rsrsrsrsrsrsrs
temos q nos gabar das boas amizades.
Sou seu fã!